Milla

8 Mulheres, 8 Femme

In Cinema e Mulher on 29/11/2010 at 15:35

 

O filme não se trata de um harém. Nem por isso deixa de ser menos interessante. Oito mulheres tem um quê de anos 50, tem um elenco de divas e monstros do cinema francês.

Elenco

Catherine Deneuve, esposa da vítima, que foi indicada ao oscar em 1992 pela sua atuação em Indochina de Régis Wagnier

 

 

Isabelle Huppert, cunhada da vítima, que além de atuar em filmes comerciais de sucesso, foi estrela da produção de Godard, Salve-se Quem Puder.

 

 

A belíssima Emmanuelle Béart, que além de linda é extremamente talentosa, deixando qualquer Angelina Jolie no chinelo, também faz parte da produção. Se você já assistiu Missão impossível, então você já viu a Emmanuelle. Mas meu filme predileto com ela é “Une femme fraçaise”.

O filme traz ainda Virginie Ledoyen como a filha mais velha da casa, que atuou em “A praia” ao lado de Leonardo di Caprio.

 

 

Firmine Richard é a governanta da casa. Uma atriz que apesar de ter as raízes latino americanas, ganhou espaço no cinema e no teatro francês.

 

 

Ludvine Sagnier atua como a filha mais nova da casa. A atriz foi descoberta pelo diretor do filme e trabalha em várias séries da TV francesa.

 

 

Fanny Ardant, é a irmã da vítima. É uma atriz que trabalhou em filmes de François Truffeaut, o famoso diretor de cinema da era da Nouvelle Vague. A atriz é famosa por interpretar papés de mulheres com alta autoestima e capazes de seduzir não apenas homens como também mulheres.

 

E para fechar o time com chave de ouro, o filme traz a atriz Danielle Darrieux, que ficou conhecida como a nova Katherine Hepburn, pelo sua atuação no musical na Broadway “Coco”.

 

Enredo

O filme é conhecido por ter um enredo muito parecido com o universo de Agatha Christie. Suzan é uma estudante que volta para casa para passar o natal com sua família. A empregada interpretada por Emmanuelle Beárt, encontra encontra o patrão morto no escritório e a filha mais nova dele tranca a porta e fica com a chave avisando que só a abrirá quando a polícia chegar. Misteriosamente a casa fica sem comunicação nenhuma e a neve não deixa que ninguém deixe a casa. Uma figura misteriosa entra na história: A irmã do morto. Na tentaiva de se defenderem uma das outras, as armas usadas é incriminar uma a outro, expondo assim conflitos e segredos que até então eram temas tabus na família. Mas tudo com muito humor, no melhor estilo de Agatha Christie.

 

Análise

O filme se baseia em uma peça de teatro. Ao invés de tentar distanciar o filme da teatralidade, o diretor François Ozon se aproveita dessa origem e traz para a tela características típicas da arte concorrente.

Concorrente, pois logo do surgimento do cinema, a sua comparação com teatro e por isso também parte de sua desvalorização entre intelectuais no quesito arte, fez com que a existência do cinema entrasse em crise logo nos seus primeiros anos. Por isso muitos cineastas se põe contra usar esse tipo de estratégia narrativa e estética, até hoje, para deixar clara a diferença: Cinema é cinema, teatro é teatro. É claro que são duas artes diferentes e também duas formas de recepçao diferente. uma sala de cinema e uma sala de teatro têm cada uma suas necessidades.

Ma so diretor Fançois Ozon não se intimidou e abusou mesmo da teatralidade, como em outros filmes mais anteriores, a exemplo “The Little Foxes” com a explêndida e eterna vilã Hollywoodiana Bette Davis (que eu amoo!).

Em oito mulheres, a escada e a sala são o palco de todo contecimento, assim como em “The Little Foxes”. Mas apesar de ter característica do teatro, o filme mostra é um filme através dos ângulos da câmera.

Numa peça de teatro o espectador não tem a liberdade de subir às escadas e acompanhar a ação la de cinema.

 

No cinema, a câmera nos permite assistir acontecimentos em várias perspectivas, através do enqaudramento escolhido pelo diretor. Muitas vezes para se entnder um enredo não é necessário apenas prestar atenção no diálogo, na narrativa, a câmera fala por si só. Em 8 Mulheres ela está alí como um detetive vigiando as mulheres, como nessa cena, a câmera denuncia a chegada de Suzan.

 

 

Mas em outras cenas a relação com o teatro é indiscutível, não apenas pela postura dos personagens de se colocar sempre de frente para a platéia, que no caso é o expectador, como também como nessa cena abaixo.

 

Aqui é visível mais uma nítida citação do teor teatral do filme. depois de um drama particular entre senhora e empregada, Gaby, Catherine Deneuve, sai da cochia e volta para o palco da ação.

A força das mulheres, tiranas ou dóceis também é uma semelhança com “The Little Foxes”, apesar de que em “8 Mulheres” não chega a haver uma tirana como Bette Davis, cada uma traz um pouco de doçura, de frustração, de sonhos e de tirania. Apesar do dono da casa, o morto na história, não aparecer realmente, apenas em alguns flashbacks de costas, é intrigante a forma como ele está presente durante toda  a narrativa, durante todo o desenrolar da história, sendo apresentado a princípio como um bom homen, tolerante, passando para o homem explorado pelas vontades de cada uma das mulheres, até ser aprsentado com uma tirania masculina própria de uma sociedade patriarcal. Apesar de ser um filme com apenas mulheres, o masculino não dá trégua .

O filme tem dessa forma um quê de traição como a cena acima mostra a empregada na cama com o patrão, feminismo beirando o lesbicismo com o beijo entre Catherine Deneuve e Fanny Ardant, que após descobrirem que dividiam o mesmo amante, se enrolam no chão com uma briga corporal que termina em beijo. Quase uma dança de acasalamento.

 

O filme trabalha ainda com a perspectiva familiar. Relações conturbadas entre irmãs, mães e filha, sobrinhas, netas… Dilemas que atingem a sociedade até hoje, como ser mãe solteira… Esconder o sentimentos, por medo de repressão pela sociedade. A falsa moral e bons costumes. Parece que as coisas não mudaram muito de lá pra cá…

 

Gêneros

O gêneros do cinema são normalmente imposto por uma questão comercial. mas não deixam de ter sua problemática. Em 8 Mulheres, François Ozon brinca também com isso. Dessa forma além de thriller, o filme tem drama, musical e comédia. Cada uma das mulheres cantam em algum momento suas dores, ou sua personalidade.

 

Resumindo…

Teria muito mais o que falar sobre o filme, mas não caberia aqui e se tornaria muito cansativo. Nele, não há uma personagem principal, mas o filme explora o interior de cada uma das mulheres em cena, amores, temores, memórias, o bem e o mal de cada uma, apesar das diferentes personalidades.

Fica aí a dica e aproveitem!

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: